Notícias

Indique esta página a um amigo  
Envie aqui seu comentário  

Notícias
 
 

Mãe cria aparelhos auditivos decorados



Promulgado no dia 13 de julho de 1990, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) está completando 25 anos. A Lei já comprovou que focar em políticas públicas para as crianças e os adolescentes foi absolutamente necessário para avançar na garantia de direitos humanos. Além de estimular a descentralização das políticas públicas, o Estatuto provocou a ampliação de serviços para essa faixa etária e aumentou a conscientização da sociedade para a proteção das crianças.


Para exemplificar tal avanço, segue abaixo uma lista de 25 conquistas dos últimos 25 anos de Estatuto da Criança e do Adolescente. 
 

1- Plano Nacional de Educação 
Em 2014, foi aprovado o Plano Nacional de Educação (PNE) com vigência de 10 anos. É um documento elaborado com diretrizes como erradicação do analfabetismo; universalização do atendimento escolar; superação das desigualdades educacionais, com ênfase na promoção da cidadania e na erradicação de todas as formas de discriminação; e melhoria da qualidade da educação. Possui 20 metas que devem ser alcançadas até 2024.


2 - Taxa de analfabetismo 
Em 2001, a taxa de analfabetismo no Brasil em pessoas com mais de 15 anos de idade correspondia a 12,4%. Apesar de ainda ser um grande desafio para a educação no Brasil, em 2013, a taxa de analfabetos nessa faixa etária reduziu para 8,5%, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad).


3 - Universalização do Ensino Fundamental 
De acordo com o IBGE/Pnad 2013, 97,1% de crianças de 6 a 14 anos estão matriculadas no Ensino Fundamental. A meta proposta pelo Plano Nacional de Educação é atingir 100% até 2024.


4 - Universalização da Pré-escola 
Em 2007, de acordo com o Censo Escolar, o Brasil tinha 78,3% das crianças de 4 a 5 anos matriculadas na pré-escola. Em 2012, o número avançou e já são 83,7% das crianças dessa faixa etária na escola.


5 - Respeito à cultura da criança na educação 
O ECA assegura que, durante o processo educacional, deve-se respeitar os valores culturais, artísticos e históricos próprios do contexto social da criança e do adolescente. Com foco nisso, foi promulgada a Lei nº 10.639, que, a partir de 2003, não só tornou obrigatória a presença do ensino de cultura africana e afro-brasileira em todas as instituições de ensino, como fixou a permanência da comemoração do Dia Nacional da Consciência Negra no calendário escolar. Tal iniciativa representa conquistas e avanços para a valorização cultural das crianças.


6 - Número de crianças registradas 
O número de registros civis de crianças recém-nascidas vem aumentando ano a ano. Em 1994, 75,1% das crianças eram registradas. Em 2011, o número subiu para 95,9%. Os números dão do IBGE e Ministério da Saúde/SVS - Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos - SINASC.


7 - Lei Menino Bernardo
Conhecida como Lei Menino Bernardo, a Lei 7672/2010 visa proibir o uso de castigos físicos ou tratamentos cruéis ou degradantes na educação de crianças e adolescentes. Pais que maltratarem os filhos serão encaminhados ao programa oficial de proteção à família e a cursos de orientação, tratamento psicológico ou psiquiátrico, além de receberem advertência.


8 - Redução do trabalho infantil 
De 1992 a 2013 o trabalho infantil no Brasil reduziu em 59% ou 4,6 milhões de casos (de 7,8 milhões em 1992 para 3,2 milhões em 2013). No período, a proporção de crianças trabalhando na população total da faixa etária reduziu em 59,2%, passando de 18,1% para 7,4%. A região Nordeste foi a que apresentou a maior redução do trabalho infantil no período 1992 a 2013: 64,6%. Entre 2012 e 2013, o trabalho infantil no Brasil diminuiu 10,6% ou 379.751 casos, reduzindo de 3.567.589 milhões para 3.187.838 milhões.


9 - Criação do conselho tutelar 
O ECA, ao definir as diretrizes de atendimento a esse segmento, tornou obrigatória a criação de conselhos em todos os níveis de administração pública, por meio de lei, definindo-os como órgãos deliberativos e controladores das ações compostos em igual número por membros do poder público e da sociedade civil. O conselho tutelar tem a função de tomar providências em casos de ameaças ou violação dos direitos de crianças e adolescentes.


10 - Criação do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente 
Outra conquista na criação de conselhos proposta pelo ECA foi o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA). Formado, paritariamente, por integrantes do poder público e da sociedade civil, o CMDCA tem o intuito de formular e deliberar políticas públicas relativas às crianças e adolescentes.


11 - Criação do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente 
Uma lei, por mais democrática que seja, não transforma por si uma realidade. São necessários instrumentos e recursos para que se transforme de fato. Caso contrário, pode ser apenas miragem. O Estatuto da Criança e do Adolescente cria um mecanismo extraordinário para viabilizar seus princípios, que é o Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.


12 - Medidas socioeducativas 
As medidas socioeducativas foram implementadas a partir do ECA. Elas são de grande importância para recuperação integral de adolescentes em conflito com a lei. Verificada a prática de ato infracional, a autoridade competente poderá aplicar ao adolescente as seguintes medidas: advertência; obrigação de reparar o dano; prestação de serviços à comunidade; liberdade assistida; inserção em regime de semi-liberdade; e internação em estabelecimento educacional.


13 - Lei da aprendizagem 
A Lei nº 10.097/2000, ampliada pelo Decreto Federal nº 5.598/2005, é conhecida como Lei da Aprendizagem. Ela determina que todas as empresas de médio e grande porte contratem um número de aprendizes equivalente a um mínimo de 5% e um máximo de 15% do seu quadro de funcionários cujas funções demandem formação profissional. Aprendiz é o jovem que estuda e trabalha, podendo ter de 14 a 24 anos, recebendo, ao mesmo tempo, formação na profissão para a qual está se capacitando. Deve cursar a escola regular (se ainda não concluiu o Ensino Médio) e estar matriculado e frequentando instituição de ensino técnico profissional conveniada com a empresa.


14 - Exploração sexual de crianças e adolescentes vira crime hediondo
A exploração sexual de crianças e adolescentes virou crime hediondo no Brasil, em 2014. Além de pegar até 10 anos de prisão em regime, inicialmente, fechado, quem cometer esse crime não terá direito à fiança. A pena também se estende a agenciadores e donos de casa de prostituição, todos que facilitam e se envolvem nesse crime contra vítimas tão vulneráveis.


15 - Redução da taxa de mortalidade materna 
Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil reduziu sua taxa de mortes maternas em 43% desde a década de 90. Mais dez países latino-americanos conquistaram avanços significativos na redução de mortes relacionadas à gravidez ou parto de 1990 a 2013. Mundialmente, taxas também estão em queda, embora doenças crônicas e outras condições médicas preexistentes ainda sejam um problema grave.


16 - Redução da taxa de mortalidade infantil 
O Brasil atingiu a meta da Organização das Nações Unidas (ONU) de reduzir em dois terços os indicadores de mortalidade de crianças de até cinco anos. O índice, que era de 51,6 mortes por mil nascidos vivos em 1990, passou para 15,3 em 2011.


17 - Redução da taxa de mortalidade na infância 
Segundo o Relatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) 2013, o Brasil já alcançou a meta de redução da mortalidade na infância. O principal indicador da meta é a taxa de mortalidade entre crianças menores de 5 anos, que expressa a frequência de óbitos nessa faixa etária para cada mil nascidos vivos. A taxa passou de 53,7 em 1990 para 17,7 óbitos por mil nascidos vivos em 2011.


18 - Desnutrição infantil 
A desnutrição infantil em menores de cinco anos poderá deixar de ser um problema de saúde pública no Brasil, caso se mantenha a tendência de declínio dos últimos anos. Em 2008, o número de crianças desnutridas correspondia a 4,84% da população nessa faixa etária. Já em 2014, o número corresponde a 3,77%. Os dados são do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN).


19 - Teste da linguinha 
O teste da linguinha se tornou obrigatório a partir de 2014. O propósito do teste é verificar se há a necessidade de cirurgia para corrigir possíveis irregularidades no frênulo lingual, estrutura que liga a parte inferior da língua à boca. O problema é conhecido popularmente como "língua presa". Quando não há a correção, a criança pode desenvolver dificuldades de sucção, deglutição e mastigação, além de problemas na fala.
 

20 - Teste do pezinho
Desde 1983, o teste do pezinho, ou triagem neonatal, é obrigatório. Mas somente em 2001 que o exame passou a ter uma fiscalização mais rigorosa e a lei foi cumprida pelas maternidades brasileiras. Crianças que nascem aparentemente normais podem sofrer consequências irreversíveis provocadas pela fenilcetonúria e hipotireoidismo congênito, ambas causadoras de deficiência mental grave, o que pode ser evitado com apenas a coleta de uma gota de sangue do pezinho do recém-nascido. Se detectadas em tempo, podem ser tratadas com dieta alimentar ou reposição hormonal, revertendo o quadro diagnosticado.


21 - Teste da orelhinha 
Em 2010, foi sancionada a Lei nº 12.303, que torna obrigatória e gratuita a realização do exame chamado Emissões Otoacústicas Evocadas, mais conhecido como Teste da Orelhinha. Essa lei representou um grande avanço para a prevenção de problemas na criança, porque pelo teste é possível detectar milhares de possíveis doenças, como a deficiência auditiva.


22 - Teste do coraçãozinho 
O Ministério da Saúde determinou que o teste do coraçãozinho deve ser parte da triagem neonatal do Sistema Único de Saúde (SUS). O teste permite identificar precocemente se o bebê tem alguma doença grave no coração e, em caso positivo, o paciente é submetido ao exame de ecocardiograma para confirmar o diagnóstico.
 

23 - Aleitamento materno 
O envolvimento da sociedade e dos movimentos a favor da saúde dos bebês trouxe à tona a importância do da valorização do direito de mães e filhos à alimentação saudável. O governo federal desenvolveu uma Política Nacional de Alimentação e Nutrição e, nesse contexto, trabalha para que a Promoção da Alimentação Saudável (PAS), que é uma das linhas de atuação da Coordenação Geral da Política Nacional de Alimentação e Nutrição (CGAN), seja adotada pela população como fundamentais para o desenvolvimento das crianças.
 

24 - Atendimento pré-natal e perinatal
A partir do ECA, o atendimento pré-natal e perinatal foi assegurado a todas as mulheres através do Sistema Único de Saúde. Ou seja, incumbe ao poder público proporcionar assistência à gestante e à mãe no período do pré e pós-parto.


25 - Atendimento especializado à criança e ao adolescente com deficiência 
O ECA assegura que haja atendimento integral à saúde da criança e do adolescente com deficiência física e/ou intelectual, por intermédio do Sistema Único de Saúde, garantindo o acesso universal e igualitário às ações e serviços para promoção, proteção e recuperação.

Fonte: Fundação Abrinq

Mãe cria aparelhos auditivos decorados

Fumar na gravidez pode causar perda auditiva nos adolescentes

02 de Abril - Dia nacional de conscientização do autismo

Aparelho Auditivo pode ajudar crianças com perda auditiva de grau leve

Você sabia que na 21ª semana de gestação, o bebe já consegue ouvir

Livre seu filho de problemas auditivos

A importância do Brincar

A importância da comunicação no aprendizado escolar

Vamos montar a Árvore de Natal

Seu filho escuta bem?

Seu filho escuta bem?

Problemas auditivos que acometem os recém nascidos

Médica fala das consequências da perda auditiva na criança

10 sinais de surdez

Médicos alertam para doenças auditivas

Uma pesquisa com bebês realizada pela Universidade de Washington mostra que os sons da fala estimulam as áreas do cérebro que coordenam e planejam os movimentos motores utilizados para falar

Estudo traz novidades sobre possíveis alterações genétricas que levam à perda auditiva

Cuidado: Fogos de artifício são prejudiciais aos bebês

Meu filho está demorando para aprender a falar. Isto é um problema?

Babá, avó ou berçário?

A primeira Copa do seu bebê

Dia Mundial da Saúde chegando. Previna-se contra a perda auditiva

Audição em crianças no período escolar

Como cuidar dos prematuros em casa

Depoimento da Alexandra, mãe de Liana - 6 anos

Teste da orelhinha pode reduzir impacto da perda auditiva na infância, aponta especialista

Abaixe o som: 12% das crianças e adolescentes apresentam perda auditiva

O realizador, o pacificador e o brincalhão: como a ordem de nascimento afeta a personalidade dos irmãos

Estudo polêmico questiona benefícios da amamentação

Crianças devem ter frequência mínima de 60% na pré-escola

Cães promovem mobilidade e estímulo para deficientes físicos

Excesso de controle dos pais leva criança a vivenciar tédio

Aparelho celular pode causar perda auditiva nas crianças

Exame do pezinho irá identificar mais duas doenças congênitas

Sistema de FM já está disponível pelo SUS para estudantes com deficiência auditiva

Escola tem banda que integra crianças surdas e ouvintes

De qualquer estilo, boa música ajuda a criança a se desenvolver

Obesidade em adolescentes está relacionada a perda auditiva

Signwriting

Volume muito alto pode causar lesões sérias em bebês

Inclusão: você está preparado?

As leis sobre a diversidade

Cromossomo responsável pela síndrome de Down é “desligado” em laboratório

Cientistas descobrem novo modo de diagnosticar autismo em crianças de 1 ano

Teste da orelhinha em crianças agora é obrigatório em Minas

TDAH

Coma vegetais para uma boa saúde auditiva

Livros infantis promovem a inclusão social de crianças com deficiência

A audição dos cachorros está mudando a vida de crianças deficientes auditivas

Quando o silêncio não é de ouro

Pesquisa mostra que investimento em educação reduz criminalidade

Obesidade pode causar perda de audição em jovens

Triagem auditiva em bebês não predizem o futuro

Bem-vindo à Holanda

Revista Aprendizagem

Phonak Pediátrico: 40 anos conectando as crianças ao mundo!

Phonak apresentará na Educar sistema inteligente de amplificação sonora para salas de aula

A principal causa da surdez na infância é a herança genética

Só 5% das crianças com deficiência que entram na escola chegam ao ensino médio



Fases de crescimento e desenvolvimento que modificam o sono do bebê e da criança




Iniciativa do Hear the World no Brasil orienta professores a identificarem perda auditiva em alunos




App de comunicação para pessoas com deficiência terá novas versões




Testes em crianças identificam problemas de linguagem que podem prejudicar a alfabetização




Criança com muita dificuldade de aprender a ler pode ter dislexia; conheça o transtorno




Fonoaudiólogos querem implementar teste para detectar língua presa em recém-nascidos




Aprendendo o alfabeto no primeiro dia de aula de faculdade




Em 10 anos, número de matrículas de alunos com deficiência sobe 933,6%




Tablets caem no gosto das crianças; será a nova babá eletrônica?




Por que ter um profissional de fonoaudiologia nas escolas?



Pais superprotetores inibem o crescimento do cérebro de seus filhos



80% dos pais não notam perda auditiva dos filhos



24 respostas para as principais dúvidas sobre inclusão - As soluções para os dilemas que o gestor enfrenta ao receber alunos com deficiência



A história da minha vida - Helen Keller



Um quinto das crianças de até 5 anos tem dificuldades para ouvir



Facebook lança guia para ajudar professores a usar mídia social



Distúrbio auditivo é confundido com déficit de atenção

Voltando a ouvir



Amamentação melhora desempenho escolar da criança



Conheça um pouco sobre o sistema de fm para pessoas com deficiência auditiva



Fundação Hear the World apóia Programa de Treinamento em serviço de referência em Triagem Auditiva em São Paulo



Balbuciar é fundamental para o desenvolvimento dos bebês



Psicomotricidade: a ciência do desenvolvimento humano



Criança que ouve direito



Pais barram filhos deficientes em escolas comuns, aponta pesquisa De São Paulo



Criança dorme menos do que o indicado



Conheça mais sobre dor de ouvido, muito comum na primeira infância.
por Letícia Dal'Jovemo
(São Paulo- Brasil, 10 de agosto 2010)



Teste da orelhinha agora é obrigatório
(São Paulo- Brasil, 10 de agosto 2010)




Artigo – Programa Infantil
(São Paulo- Brasil, 22 de fevereiro 2010)




Crescimento e Desenvolvimento
(São Paulo- Brasil, 22 de fevereiro 2010)




Estudo associa melhora da qualidade do ar à redução nas infecções de ouvido
(São Paulo- Brasil, 22 de fevereiro 2010)




Implante coclear traz qualidade de vida para crianças com problema de audição
(São Paulo- Brasil, 18 de fevereiro 2010)





Artigo publicado na revista Reação, Ano XI - Ed. nov/dez 2008
Desabafo sobre o preconceito - Por Vanessa Vidal
(São Paulo- Brasil, 18 de junho 2009)




Aconteceu em São Paulo
Professores fazem curso de lingua portuguesa para deficientes auditivos
(São Paulo- Brasil, 18 de junho 2009)





Aconteceu em São Paulo
Teatro para deficientes auditivos e visuais
(São Paulo-SP, 28 de outubro 2008)




Aconteceu em Campinas
I Congresso Brasileiro de Otorrinopediatria
(Campinas - SP, 24 e 25 de abril 2009)


Aconteceu em Bauru
O nascimento do Programa Infantil Phonak Brasil
(Bauru - SP, 18 de abril 2009)
 


  >> contato@programainfantilphonak.com.br

Tel: 0800 701 8105






   
 
 

Para que os bebês e crianças com perda auditiva desenvolvam suas habilidades linguísticas é importante e necessário o trabalho de terapia fonoaudiológica.